O que o futebol tem em comum com um corretor de imóveis? Você poderia pensar que o esporte pode ser um passatempo, um momento de diversão ou a válvula de escape na rotina desses profissionais que não tem hora para trabalhar. Sim, pode ser tudo isso, mas no caso do nosso personagem desta edição da Perfis, o esporte foi a atividade que garantira a sua renda da adolescência até o início da vida adulta.

Leonardo Gazola, um dos corretores de maior destaque em toda a Florianópolis, começou a sua vida profissional como esportista e contou com passagens por grandes clubes brasileiros. Curioso, né? Vamos conhecer um pouquinho mais da trajetória de um parceiro de destaque que colabora para o sucesso do nosso mercado imobiliário!

 

Razão x Emoção

Leonardo Gazola Lima é natural de Florianópolis (SC), e desde cedo soube que para atingir resultados é preciso ter foco. Quando criança, morou com os pais na cidade de Castro (PR), e com apenas 14 anos saiu de casa para tentar a vida nos gramados. A habilidade que adquiriu dentro das quatro linhas surgiu ainda na infância, e o destaque com a bola o trouxe de volta para a capital catarinense, onde iniciou a carreira de jogador profissional no Figueirense. Algum tempo depois, devido a alguns tropeços em sua trajetória, Léo retorna ao Paraná.

Assim como a trajetória de muitos jovens que transformam o esporte em profissão, a carreira esportiva de Leonardo foi marcada por altos e baixos em diversos clubes importantes por todo o Brasil. O cenário incerto nos gramados foi o incentivo para buscar uma formação profissional, mas a saudade bateu e o jovem jogador voltou para Florianópolis em busca de uma nova oportunidade no esporte.

Com sua conturbada trajetória, a sensação de “virada de chave” foi ficando cada vez mais forte:

Eu estava com 26 anos, meus amigos estavam todos formados na faculdade. Um primo meu se formou também e quando foi procurar o primeiro emprego, acabou virando corretor de imóveis. Ele começou a ganhar uma grana e me disse que eu deveria me tornar corretor, pois eu conhecia todo mundo e tinha muito o perfil. Eu fiquei com aquilo na cabeça, jogava no Operário de Ponta Grossa, vim pra Floripa nas férias e vi como ele trabalhava. Já gostava do mercado imobiliário e achava legal. Daí eu falei pra ele o seguinte: se nada der certo (no futebol), eu vou virar corretor!”, lembra.

Dito e feito. Após participar de alguns jogos pelo Campeonato Catarinense, a carreira profissional como jogador ficou no passado. Em novembro de 2011, Leonardo dava o primeiro passo na profissão que encontraria outro grande talento e onde se sentiria realizado.

 

Grandes resultados e uma trajetória de sucesso

O foco e a determinação dos tempos de atleta serviram de impulso para o sucesso de vendas na Gralha Imóveis, imobiliária a qual Léo se consagrou como um gigante no trato com seus clientes e vendas. Em pouco mais de uma década negociando imóveis de alto padrão, Leonardo teve diversos reconhecimentos pelo seu excelente desempenho. Entre as maiores conquistas como corretor, ele foi onze vezes campeão mensal e três vezes campeão anual – ainda com recordes de vendas.

Joguei futebol a vida inteira, então eu não gosto de perder, sou muito competitivo. E é muito pelo desafio, eu preciso ter um propósito”, afirma.

Leonardo também relembra o início da sua trajetória, em tempos que o corretor não tinha a tecnologia como facilitadora nos processos de relacionamento e fidelização:

Sempre trabalhei muito com relacionamento, sempre fui muito de falar no telefone. E claro, sempre fui muito cara de pau! (risos). Então todos esses fatores facilitaram o meu início. Cheguei no mercado imobiliário quebrando o gelo com os clientes. Procurava contatos pela lista telefônica, falava com mais de cem pessoas por dia! Demorei três meses para fazer a minha primeira venda e agora, dez anos depois, consigo unir relacionamento com conhecimento para que o cliente indique o meu trabalho”, diz.

 

Paixão pela profissão e amor pela família

A rotina diária em busca das vendas trouxe a experiência que o Leonardo tanto sonhava para a sua formação. Se antes o jogador de futebol vivia cercado pelas incertezas da profissão, nos primeiros anos como corretor ele começava a firmar o seu lugar e construir o seu nome no mercado imobiliário catarinense:

Se eu tivesse me formado em fisioterapia, hoje eu seria o cara mais frustrado do mundo! Com toda certeza, ou eu não seria mais fisioterapeuta, ou eu seria um péssimo profissional. Como corretor eu tenho liberdade de horário, conheço pessoas e imóveis diferentes todos os dias. A minha rotina não é monótona!”, comemora.

Com o desejo de transformar em conquista a necessidade e os desejos de seus clientes, Leonardo afirma ser movido pelo foco e o amor à corretagem.

Pai e marido, também é na família que ele encontra a segurança para recarregar as energias e se reinventar a todo momento:

Eu sou um cara muito família, e isso facilita na hora de encontrar um imóvel para o meu cliente. É bom que você converse com propriedade, que o seu cliente perceba que você sabe o que está falando. Se é um cliente com filhos, por exemplo, conseguimos falar a mesma língua. É na família que tenho a minha base, e acredito que para se ter sucesso nos negócios é preciso, primeiramente, estar bem fisicamente – porque não adianta trabalhar e não ter saúde – estar bem mentalmente – porque não adianta ter crise de ansiedade e não conseguir trabalhar – e claro, é preciso estar bem espiritualmente…

 

Visão do mercado imobiliário

Parte da sua personalidade também prioriza o contato e o atendimento mais humanizado. Léo lembra que a tecnologia vem afetando em cheio o mercado imobiliário. Mas, se por um lado os recursos tecnológicos estão facilitando os processos, também pode interferir de maneira não muito positiva nas relações:

No início da minha carreira eu não tinha clientes. A ligação pelo telefone era o recurso que eu usava para encontrá-los. Após anos trabalhando, agora eu tenho foco nas visitas. E eu explico: falar pelo telefone é uma coisa, já pessoalmente é possível criar uma sintonia, um rapport. A dificuldade hoje é que muita gente não atende o telefone, e quando tem atendimento, ele é muito frio”.

Completa:

O mercado imobiliário precisa de um atendimento mais humanizado. As novas tecnologias facilitaram muito, principalmente na questão de contrato, mas uma coisa é certa, o ser humano é movido pelos relacionamentos! Se um cliente de São Paulo quer um imóvel aqui em Floripa, vai precisar de alguém para mostrar como é e como se vive em determinado bairro. Os corretores que estão começando, ficam muito presos no WhatsApp. Não se cria uma relação de confiança no WhatsApp, tem que ligar!

 

Planos para os próximos meses

2021 foi um ano de muitas transformações para o mundo, incluindo a vida do Léo Gazola e sua família. Após muitas pesquisas de mercado e de uma vontade enorme de buscar outros desafios, surgia uma nova possibilidade de crescimento. Chegava o momento certo de empreender. Sim, mesmo em meio à uma pandemia, pois como ele mesmo costuma falar: “se é pra ir com medo, vai com medo mesmo!

O desejo de montar um negócio próprio surgiu há três anos. Leonardo já tinha a vontade, a carteira de clientes, além do reconhecimento no setor imobiliário. O foco era abrir uma imobiliária na Praia de Palmas, mas ele logo percebeu que o negócio poderia não render tanto. O tempo passou e, em julho de 2021, a decisão foi tomada:

A minha esposa trabalha com consultoria no mercado imobiliário, entende de todos os processos, então eu pensei que poderíamos unir as nossas experiências para empreender. Tenho uma baita profissional do meu lado, estava perdendo tempo, né?”, brinca.

O casal de empreendedores se preparou para serem os pioneiros em SC e dirigirem a primeira franquia da imobiliária Crédito Real no Estado, utilizando um espaço físico em um dos endereços mais privilegiados e nobres de Florianópolis, na Avenida Mauro Ramos. Vem aí a vida de empresário!

E aí, gostou de conhecer mais um pouquinho da trajetória e dos planos de mais um dos nossos parceiros? Estamos preparando novos materiais para a coluna, em breve traremos outras histórias para a sua leitura. Fique ligado(a)!