Hoje, a nossa Coluna Perfis apresenta mais um parceiro da Impacto, o Pedro Catini, que é head de inovação e tecnologia do Bloco, um HUB do mercado imobiliário que visa se relacionar com diversas iniciativas desde startups até empresas tradicionais, promovendo conexões de valor entre esses negócios para promover inovação aberta.

Ele conversou com nossa equipe e contou detalhes sobre seu trabalho.

Pedro iniciou a trajetória que lhe levaria ao Bloco, quando entrou para a área de inovação da Brognoli, uma das mais conhecidas imobiliárias de Florianópolis. Ele trabalhava na comunicação interna, em projetos para conectar startups que pudessem trazer soluções para a empresa.

O profissional mapeava as “dores” da Brognoli, para buscar soluções, relacionadas às vendas, controladoria e outros diversos setores. A sua busca era focada em projetos de tecnologia que gerassem mais do que conexões, que fossem capazes de entregar cases de sucesso.

Cases de sucesso

Com orgulho ao relembrar, Pedro Catini conta que, em 2019, foi um dos pilares do case que envolveu a B.Homy, uma startup que operava os aluguéis de temporada e que teve seus serviços implementados à Brognoli. O resultado disso, ele conta com entusiasmo: “em cada imóvel, ficou até 5 vezes maior o valor recebido pela imobiliária e 8 vezes maior o valor recebido pelo proprietário”.

Outro case que o profissional gosta de relembrar é um de melhoria interna, que ocorreu também no ano de 2019. A imobiliária não possuía a antecipação de aluguel, um serviço que proporciona vantagens aos clientes e acaba atraindo mais proprietários para anunciar, pois podem obter seus valores de forma rápida.

Para solucionar isso, Pedro e a equipe de inovação da empresa estabeleceram uma conexão com a startup Recebe, que possibilitou a implementação do aluguel antecipado na imobiliária e melhorou o serviço interno.

Com os sucessos colecionados pela área de inovação da imobiliária, somente no ano de 2019 a Brognoli recebeu em torno de 300 propostas de startups de novos negócios, o que possibilitou mais de 60 novas conexões.

O Bloco, a inovação além da Brognoli

Os resultados das conexões eram excelentes e isso fez com que Pedro e a área de inovação da Brognoli enxergassem que as outras imobiliárias também poderiam obter suas transformações digitais.

Então, o Bloco passou a ser um braço de transformação digital para imobiliárias que buscassem essa inovação aberta, que parte do princípio de que uma empresa dificilmente consegue ter um processo de inovação completo sem utilizar agentes externos, e nesse cenário, precisa de conexões para realizar sua jornada de inovação imobiliária.

Essa mudança fez com que o Bloco chegasse onde está hoje, com mais de 750 startups avaliadas, mais de 80 startups conectadas e mais de 36 projetos ativos atendendo nada menos que 20 empresas.

A jornada de transformação digital que o Bloco proporciona nas imobiliárias

Pedro Catini contou para a Impacto um pouco sobre a jornada de transformação digital, que é um programa do Bloco para acelerar a transformação de imobiliárias e negócios imobiliários.

A jornada não tem como foco atingir somente a implementação de tecnologias, mas também implementar a organização de processos, desenvolvimento de colaboradores com maturidade digital e atuar nas melhorias da experiência do cliente.

Pedro conta que “a nossa tese de transformação tem três pilares, sendo eles: pessoas, processos e tecnologia”.

Com as pessoas, ele afirma que a busca é pela transformação cultural e maturidade digital. Nos processos, os objetivos são relacionados às adaptações de processos analógicos, tornando-os totalmente digitais. E a “fase” da tecnologia é realizada através das conexões de startups. Tudo isso com foco em melhorar a experiência do cliente na imobiliária.

Motivações de Pedro Catini

Quado questionamos ao Pedro quais as suas motivações nos trabalhos visando a inovação tecnológica em imobiliárias, ele afirmou: “A minha maior motivação está atrelada a capacidade de impacto que podemos fazer na cadeia imobiliária e também na vida das pessoas”.

Pedro Catini acredita que se melhora o atendimento da imobiliária, também está melhorando a vida dos clientes. E a ideia de tornar o mercado imobiliário mais acessível, com menos burocracia e com boas experiências aos clientes, lhe inspira. Ele diz que “Outra grande motivação é alcançar, com o suporte da tecnologia, o maior número de imobiliárias que entregam as informações de forma correta, com foco no cliente e acessibilidade”.

Além disso, o profissional mencionou que existe um movimento de digitalização que está crescendo, e o mercado imobiliário é um dos mais atrasados, estando a frente somente da pesca.

Com isso, o espaço que se tem para trabalhar com tecnologia e conexões de startups é muito grande, e esse espaço para coisas novas acaba se tornando outro importante motivador para seu trabalho.

O presente e o futuro da transformação digital nas imobiliárias

Na visão de Pedro, existe hoje uma grande busca das empresas por transformação digital, porém, graças à baixa maturidade digital por parte dos gestores, essa busca ocorre de maneira incorreta, o que gera frustrações e investimentos precipitados.

Segundo o profissional, muitas imobiliárias entendem transformação digital somente como tecnologia, mas na sua essência, trata-se de transformação de pessoas, para depois transformação de processos e, por fim, transformação de recursos (tecnologia). “Nós, enquanto Bloco, esperamos ajudar essas empresas a se transformarem de maneira assistida, acompanhadas de forma personalizada”, afirma.

Sobre o futuro, Pedro Catini diz que provavelmente será mais “inteligente”, pois vê um crescimento, mesmo não sendo na velocidade adequada, da busca por inteligência artificial e big data. Com isso, ele enxerga investimentos e incorporações imobiliárias, além da entrega de acesso ao crédito, no futuro, sendo feitos de forma muito mais personalizada e eficiente.

Dito isso, o head de inovação do Bloco conclui seu pensamento afirmando que “a tecnologia vai chegar para todo mudo, mas o que vai manter as imobiliárias sobrevivendo no jogo é não ser uma empresa de, apenas, tecnologia, mas sim uma empresa que sabe se adequar às experiências do cliente”. Segundo ele, o futuro das imobiliárias é digital, mas o que vai tornar uma empresa única é inserir a experiência da marca dela no mercado!

Fique atento ao nosso blog para mais novidades na coluna perfis, a próxima convidada é Mariana Padilha Accurso, da Lydia Sistemas Inteligentes.